Águas Profundas de Robert Bryndza (Opinião)


Tenho de dar os parabéns à editora por publicar a série Erika Foster com capas extremamente apelativas, mas que, infelizmente, são melhores do que a história em si.
Neste terceiro volume da saga, Erica Foster encontra-se em outro departamento que, em modo algum, está relacionado com homicídios e recebe uma denúncia de que existe uma prova fundamental relacionada com um caso de narcóticos. 
Quando encontram o que procuravam , encontram também um corpo já em estado de decomposição avançado e, ao investigarem o corpo, descobrem que pertence a  Jessica Collins, uma menina de sete anos que desapareceu nos anos 90.
Para resolver este crime, Erika terá de falar com a família Collins. Terá de assistir aos seus problemas, aos seus ódios e à sua destruição.
Águas Profundas não me agradou como eu estava à esperava. Pensava que o escritor tinha conseguido corrigir os erros dos livros anteriores, mas neste ele voltou a repeti-los todos. Narrativa chata e aborrecida e uma história muito previsível. 
Uma coisa que me deixou triste após a leitura deste livro, foi que reparei que o escritor faz um padrão nos seus livros. Embora este livro não supere o meu favorito do escritor "A sombra da noite", fiquei bastante curioso para ler o próximo. Até agora foram publicados três livros da série e o melhor  foi o segundo. Se estão a iniciar a série e não acharam o primeiro livro nada de especial, recomendo a não continuarem a saga pois este livro é um pouco melhor que "A Rapariga No Gelo".

5,6/10


0 comentários:

Enviar um comentário

 

Formulário de Contacto

Nome

Email *

Mensagem *